quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Caros Amiguinhos, Assim Começa a Tragédia do Bumba

Primeiro gostaria de lembrar que minha conexão Claro (que é uma bosta) ainda está com problemas.

Então vejamos.

Começamos com informações de o  GROBO (que evito citar muito por medo de apodrecimento do blog e contaminação do computador com as informações dessa merda de jornal )

"O local onde aconteceu o deslizamento de terra no Morro do Bumba, em Niterói, abrigou, de 1970 até 1986, o segundo lixão de Niterói, no bairro Viçoso Jardim. O primeiro funcionou durante muitos anos no aterrado São Lourenço, no bairro do mesmo nome, hoje totalmente urbanizado. A cor preta do solo que deslizou é resultado da decomposição do lixo. A região não é muito íngreme.
Com o saturamento do lixão, no final do governo de Wellington Moreira Franco, a prefeitura ficou sem opção para dar destino final ao lixo da cidade. A primeira tentativa foi de levar os detritos para o aterro sanitário do Engenho Pequeno, em São Gonçalo, onde a prefeitura niteroiense chegou a investir, na época R$ 600 mil.
A comunidade local, no entanto, reagiu, e, durante dois anos, Niterói levou seu lixo para o aterro sanitário de Gramacho, em Duque de Caxias.
Com a desativação do lixão no Morro do Bumba, foi proibida a ocupação do local, no governo Waldernir Bragança, mas aos poucos, por falta de fiscalização, foram construídas pequenas casas de alvenaria...."

Já no primeiro mandato, que começou em 1989 ele tratou, com ajuda do governo do Estado (que não tem responsabilidade sobre a ocupação do solo urbano, simplesmente atendendo às solicitações das prefeituras quanto à instalação de infraestrutura e serviços básicos de luz, água e esgoto) Jorge começou e estimular a ocupação da área, lá instalando luz e saneamento básico e começando a cobrar, e bem,o IPTU.

Os vereadores ajudaram muito, 'doando' (trocando por votos) tijolos e cimento, era e ainda é comum em Niterói os vereadores trocarem votos por 'favores', serviços básicos etc Quase todos fazem isso.

Os mais retrógrados ainda praticam a compra através da doação de cimento e tijolos, como na Ilha da Conceição (dominada por.... cês sabem né?). Hoje há formas mais modernas de compra de votos, como por exemplo operações de esterilização feminina, chamada de micro cesária, onde a ligadura de trompas é executada através de três orifícios na barriga. A operação é simples e geralmente nossos verroedores corrompem pessoas do SUS para a utilização de instalações e pessoal para a execução do procedimento, é praticamente impossível conseguir a operação no SUS de Niterói sem a 'indicação' de algum membro do legislativo.

Alguns que praticam essa modalidade de compra de votos, são aquele ex vereador, dono empresas de ônibus; aquele outro com nome de ave, e outros que não consigo lembrar ou indicar através de dados que não me obriguem a citar nomes, mas lembrem-se 90% ou mias dos nossos vereadores praticam essa modalidade,  ou outra!

Diga-se de passagem que ainda há vereadores que tentam executar seu trabalho de maneira séria,  entre eles:
Prof. Renatinho
Paulo Eduardo Gomes
Felipe Peixoto (mas só até assumir como deputado)
e outros menos expressivos mas nem por isso menos honestos.
.
Continua!

2 comentários:

baraodeitauna disse...

Se preparem Jorge e sua turma aprontarão mais. Daqui a um ano, vão se preparar para as eleições municipais.
Eles estão com medo do Marcelo Freixo ganhar.

Lourdes Molina disse...

E ele (Marcelo)tem todas as chances! Basta querer!